A indústria da moda mundial acaba de ganhar seu primeiro centro de inovação focado em economia circular, em Amsterdã, na Holanda. Fundada com o apoio da C&A Foundation, a iniciativa, chamada Moda para o Bem (Fashion for Good), vai conectar marcas, instituições e organizações sociais que estão repensando a forma como são escolhidos os materiais, produtos químicos e as formas de produção, venda e uso da moda.

“Queremos que a indústria da moda seja mais sustentável, mas não conseguiremos fazer isso sozinhos. Por isso, a C&A Foundation, organização global da qual o Instituto C&A faz parte, decidiu apoiar essa iniciativa, que vai reunir diferentes marcas  inovadoras e organizações sociais para que possam repensar como a moda é projetada, confeccionada, usada e reutilizada”, conta Giuliana Ortega, diretora executiva do Instituto C&A.

O movimento Moda para o Bem conta com o apoio da Fundação Ellen MacArthur, especializada em economia circular, a Coalizão de Vestuário Sustentável (Sustainable Apparel Coalition), o Cradle to Cradle Products Innovation Institute e o Impact Hub Amsterdam. As primeiras marcas a apoiar a iniciativa são a C&A e a Kering, dona das marcas Gucci e Puma.

“Como um dos líderes globais no varejo de moda, unimos forças com o movimento Moda para o Bem para pensar a circularidade do nosso setor. Nossa primeira iniciativa com a parceria foi o desenvolvimento de uma peça que ultrapassasse todos os níveis de sustentabilidade existentes, e que será lançada em breve, para provar que a moda circular é possível”, comentou Jeffrey Hogue, diretor global de sustentabilidade da C&A e membro do Conselho da C&A Foundation. “Queremos democratizar nossa abordagem e compartilhar nosso aprendizado com a indústria por meio da iniciativa Moda para o Bem. Assim, vamos incentivar outras marcas a aderir a esta abordagem holística para projetar produtos e processos”, completa.

No Brasil, o Instituto C&A trabalha com o apoio de seus parceiros, visando repensar a cadeia produtiva como um todo. Ainda este ano, a organização vai promover, em parceria com a Malha, no Rio de Janeiro, uma série de eventos para o compartilhamento de conteúdo inovador relacionado à moda com propósito, economia colaborativa e outras tendências nessa direção.

Quando definidos data e local para os eventos, estaremos disponibilizando as informações para todos os nossos leitores engajados.

Esta é uma excelente notícia uma vez que, este esforço rumo a uma economia circular na indústria da moda vêm caminhando a passos largos por toda a Europa e agora chega ao Brasil com o apoio do Instituto C&A. Ficamos no aguardo dos próximos passos!

Sobre o Instituto C&A

O Instituto C&A foi criado em 1991, com o objetivo de planejar, gerenciar e executar a política de investimento social da C&A. A partir de 2016, a organização se integrou à C&A Foundation, organização com sede na Suíça e que coordena o investimento social de todos os institutos e fundações que levam o nome da C&A no mundo.

Por acreditar que a moda pode ser uma força para o bem comum, atua na promoção de uma indústria da moda mais justa e sustentável no mundo, que beneficie o meio ambiente, os trabalhadores desse setor e suas famílias. Diante disso, suas ações são focadas em três programas: Incentivo ao Algodão Sustentável, Melhores Condições de Trabalho e Combate ao Trabalho Forçado e Trabalho Infantil. Além disso, trabalha o engajamento como um tema transversal aos demais e busca mobilizar os funcionários da C&A e a sociedade para a mudança.

Desde sua criação, o Instituto C&A já investiu mais de US$ 125 milhões, em cerca de 2 mil projetos sociais, em mais de cem cidades. Tais ações envolveram aproximadamente 1 milhão de pessoas, especialmente crianças, adolescentes e educadores. Em um processo de transição planejada, o Instituto C&A manterá seus programas na área de educação até fevereiro de 2019, período no qual investirá no fortalecimento de seus atuais parceiros, para que possam dar continuidade ao legado construído em conjunto.

Foto: Instituto C&A