Em pouco mais de sete meses, esgotamos os recursos naturais do planeta para 2016, e a cada ano, sobrecarga tem ocorrido mais cedo. Hoje, a conclusão é de que a humanidade precisa de 1,6 planeta Terra para atender suas demandas

8 de agosto de 2016 é o Dia de Sobrecarga da Terra (Earth Overshoot Day, em inglês), data que marca o dia em que a humanidade consumiu mais recursos naturais do que o planeta é capaz de produzir ao longo do ano. Isso significa que o consumo global recorde fez chegar mais cedo o início do “saldo negativo” da capacidade da Terra se recuperar. Comparado com anos anteriores, em 2016, essa sobrecarga ocorre mais cedo – em 2015, a data foi 13 de agosto. Considerado um termômetro para acompanhar a degradação do meio ambiente ao longo do tempo, o Dia da Sobrecarga passou a ser calculado no ano 2000.

Overshoot Day

O cálculo para chegar ao Dia da Sobrecarga da Terra é complicado, mas a explicação é simples. Feita pela Global Footprint Network seguindo o conceito de “pegada ambiental”, a ONG usa dados da ONU, da Agência Internacional de Energia e da Organização Mundial do Comércio (OMC), além de dados governamentais dos próprios países. As demandas de consumo global, a eficiência na produção de bens e o tamanho da população, então, são contrapostos à capacidade da natureza de prover recursos e “reciclar” resíduos organicamente.

Hoje, a conclusão é de que a humanidade precisa de 1,6 planeta Terra para atender suas demandas. Algumas consequências dessa super exploração dos recursos naturais é o acúmulo de dióxido de carbono na atmosfera, a erosão do solo, o desmatamento das florestas, a sobrepesca, a diminuição da biodiversidade e as mudanças climáticas. Assim, se nada mudar no comportamento de consumo humano, a projeção é de que precisaremos de duas Terras antes de 2050.

Calculado desde 2000, desde então, a sobrecarga dobrou, e a data acontece mais cedo a cada ano, com exceções apenas entre 2007 e 2008 (de 30/08 para 01/09) e 2008 e 2009 (de 01/09 para 06/09). No primeiro ano da medição, o esgotamento dos recursos naturais do planeta aconteceu em 04 de outubro, quase dois meses mais tarde do que a data determinada para 2016. Também foram feitos cálculos retroativos desde 1961, concluindo que o primeiro ano de Sobrecarga da Terra aconteceu em 1970, quando a data caiu no dia 23 de dezembro.

Mudanças de atitude são fundamentais

Por outro lado, estima-se que a data poderia ser “empurrada” para a segunda quinzena de setembro caso até 2030 as emissões de carbono sejam reduzidas em ao menos 30% abaixo dos níveis, resultado pretendido pelo Acordo de Paris estabelecido na Conferência do Clima das Nações Unidas em dezembro (COP 21).

“Somente com a implantação bem sucedida de novas mentalidades de consumo e produção essa meta poderá ser alcançada. Do ponto de vista individual, atitudes como a diminuição do consumo em excesso e com desperdício de energia elétrica, de carne e transportes movidos a combustíveis fósseis são algumas das principais maneiras de colaborar, lado a lado com os compromissos de governos e empresas no combate ao desmatamento e recuperação de áreas degradadas no planeta”, explica Helio Mattar, diretor presidente do Instituto Akatu.

Mas aí, você vai se questionar: “o que a moda tem haver com esta sobrecarga?”

A indústria têxtil e de confecção é hoje uma das indústrias que mais contribui para a degradação do meio ambiente e também é uma das que mais utiliza recursos naturais para vestir todos nós.

A água é o bem mais consumido pela indústria da moda e o seu retorno para a natureza, normalmente vêm acompanhada de produtos químicos tóxicos, que contaminam a água e consequentemente destrói rios e todo meio ambiente por onde ela passa, além de outras questões como desflorestamento, emissão de gazes tóxico e contaminação do solo pelo descarte incorreto das roupas pós-uso.

Por isso, não temos muito o que comemorar, pelo contrário, devemos refletir e mudar nossos hábitos de consumo urgente. Não temos mais que uma terra para continuar suprindo as nossas necessidades em excesso, qualquer dia, sem aviso prévio, todos os recursos podem se esgotar.

Fonte: Akatu
Foto: Pinterest